Paulo Sandroni

Detalhes do autor

Nome: Paulo Sandroni
Data de registro: 01/09/2011

Biografia

Paulo Sandroni (São Paulo, 1939) é um economista brasileiro. Graduado pela FEA-USP em 1964, é mestre em Economia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Entre 1965 e 1969, foi professor da Faculdade de Economia da PUC-SP e da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Rio Claro. No início dos anos 1970, trabalhou na Universidade do Chile e na Universidade de Los Andes, em Bogotá. Atualmente é professor da Escola de Administração de Empresas , da Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas de São Paulo e da Faculdade de Economia e Administração da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. É fellow do Lincoln Institute of Land Policy, um think tank de Cambridge (Massachusetts) que se dedica a questões relacionadas com a tributação, uso e regulação do solo.

Últimos Posts

  1. A Dinâmica da Oferta de Terrenos Urbanos – 1ª Parte — 30/06/2017
  2. O Tripé da governabilidade e a retomada do crescimento econômico — 21/06/2017
  3. Paradoxos e Incertezas da Retomada do Crescimento Econômico — 08/02/2017
  4. Corujas não caçam morcegos ao meio-dia! — 06/09/2016
  5. Sugestões para sair da enrascada — 13/07/2016

Posts mais comentados

  1. TARIFA ZERO — 24 comentários
  2. Um Tripé que Deixa a Mesa Mancando — 7 comentários
  3. O paradoxo de Allais e a Selic — 6 comentários
  4. A Crise na Europa e reflexos no Brasil — 6 comentários
  5. Lei de Wagner — 5 comentários

Listas de posts do autor

jun 30 2017

A Dinâmica da Oferta de Terrenos Urbanos – 1ª Parte

A Dinâmica da Oferta de Terrenos Urbanos : análise preliminar dos dados da Planta Genérica de Valores de 2016 do Município de São Paulo. 1ª Parte  Introdução  O objetivo deste estudo é analisar a estrutura da oferta de terrenos vacantes na cidade de São Paulo passíveis de receberem construções no curto prazo, a partir dos dados …

Continue lendo »

jun 21 2017

O Tripé da governabilidade e a retomada do crescimento econômico

Todos os governos nacionais eleitos a partir de 1989 apoiaram-se no tripé: Congresso (parlamentares), Donos do Pib (Empresários) e Ruas (Povo e movimentos sociais). No passado, o tripé era constituído pelo Exército, a Marinha e a Aeronautica. Hoje, embora consultadas o protagonismo das Forças Armadas é reduzido, e fato relevante: conhecemos mais os nomes dos …

Continue lendo »

fev 08 2017

Paradoxos e Incertezas da Retomada do Crescimento Econômico

A atual política econômica não é farinha do mesmo saco da proposta por Joaquim Levy nomeado para a Fazenda – a contra gosto é verdade – pela ex-presidente Dilma Roussef. Mas é farinha do mesmo moinho. Existem diferenças? Sim, algumas: Levy queria arrecadar mais aumentando impostos tipo CPMF; além disso, o déficit era uma metamorfose …

Continue lendo »

set 06 2016

Corujas não caçam morcegos ao meio-dia!

Descomunal equívoco – para dizer o mínimo – é a narrativa que alguns economistas ex conselheiros da ex-Presidente tentam elaborar para salvar-lhe a alma, e a deles também. A prosa enganosa consiste em afirmar que ao invés de pedaladas fiscais o que a Presidente praticou, em 2015, foi uma política de intensa redução de gastos, …

Continue lendo »

jul 13 2016

Sugestões para sair da enrascada

O afastamento da Presidente Dilma em maio de 2016 estancou a sangria: boa parte dos indicadores econômicos pararam de se deteriorar. Alguns apresentam avanços significativos – como o superávit da balança comercial – mas outra coisa é que comecem de forma sistêmica a melhorar. Preso numa contradição insolúvel o governo Dilma, como a maioria dos …

Continue lendo »

fev 17 2016

Um Acerto Crasso?

Um economista desencantado poderia criar o conceito que encabeça este artigo: “Política econômica exitosa para enfrentar conjuntura adversa, mas que provoca consequências desastrosas se mantida indefinidamente. Estímulos ao consumo como subsídios tarifários, creditícios, tributários e aumentos salariais foram eficazes para enfrentar a crise em 2008/9.” Mantidos depois de 2010, no entanto, corroeram as contas públicas, …

Continue lendo »

out 23 2015

Feliz 2017 ou 2018?

“Quem pede, recebe; quem nomeia tem preferência!” Neném Prancha nos tempos da Lava Jato.   Desde 2013 o PIB era um cabra marcado para morrer. A política expansionista que prosseguiu mesmo depois de passada a onda de choque da crise  de 2008 indicava aos agentes, (leia-se investidores), que o modelo era insustentável. Em 2014 com …

Continue lendo »

jun 23 2015

Não existe almoço grátis. E janta?

O último bastião que ainda segurava a queda de prestígio do governo Dilma está desmanchando no ar com rapidez: Em maio de 2015 quase 120 mil trabalhadores deixaram de ter sua carteira assinada, especialmente na indústria. Em junho apenas 10% dos entrevistados consideravam o governo Dilma bom e ótimo. A situação piorou tanto que o …

Continue lendo »

fev 01 2015

O Esperanto Econômico e a Cumbuca de Maldades

“Deus é brasileiro, mas São Pedro parece ser argentino…” As promessas de campanha, dizia um velho político, valem cem dias: intervalo entre a eleição e a posse. Entre nós, não durou setenta. Antes que a vaca começasse a tossir, a nova equipe econômica  tomou as primeiras medidas para o rearranjo das quatro taxas do apocalipse: …

Continue lendo »

set 16 2014

Municipios Financeiramente Asfixiados

  A possibilidade de um Pib zero em 2014 resultará em média de 1,5% de crescimento nos quatro anos do mandato da presidente Dilma. Talvez isso não consiga compensar a taxa de crescimento da população. Resultado: o Pib per capita na melhor das hipóteses permanecerá estagnado, ou poderá cair no pior dos cenários. Este desempenho …

Continue lendo »

Posts mais antigos «